gold silver
mailing paying

Mailing livre
Português

home

O rácio ora e prata: preço, produção e reservas.

pdf

Eis o segundo artigo sobre o tema do rácio ora e prata. Permite medir a relação entre o ouro e o prata de acordo com métodos diferentes. Após uma abordagem histórica sobre o rácio ao século XIX e uma comparação da produção do prata com o cobre, chumbo, cobalto, zinco, níquel, este artigo tem uma abordagem muito mais concreta. A primeira parte explica aos novatos que é o rácio ora e prata. A segunda parte dá diferentes tipos de rácio e a última parte é uma interpretação possível destes rácios. O assunto desta série de artigos é encontrar a boa relação entre o ouro e o prata, porque o relatório actual de 60 é uma anomalia temporária do mercado. Isto é muito interessante para investidores dado que o ouro está num mercado altista a longo prazo e que o prata segue habitualmente o ouro no seu aumento. Deve de resto recuperar o seu atraso sobre o ouro.

I. Explicação de rácio gold silver.

- Eis algumas explicações sobre o rácio preço ora e prata.
Por exemplo, com uma onça de ouro à 400 dólares e uma onça de prata 6.5 dólares:
400/6.5 = 61
O rácio é de 61 o que quer dizer que o ouro é 61 vezes mais caro que o prata, ou que tem-se 61 quilogramas de prata para um quilograma de ouro.

- Alguns exemplos :
Para um rácio de 60 com uma onça de ouro à 400$, aquilo dá uma onça de prata à 6.6$.
Para um rácio de 30 com uma onça de ouro à 400$, aquilo dá uma onça de prata à 13.3$.
Para um rácio de 15 com uma onça de ouro à 400$, aquilo dá uma onça de prata à 26$.
Para um rácio de 7 com uma onça de ouro à 400$ aquilo dão uma onça de prata à 57$.

Para um rácio de 60 com uma onça de ouro à 600$, aquilo dá uma onça de prata à 10$.
Para um rácio de 30 com uma onça de ouro à 600$, aquilo dá uma onça de prata à 20$.
Para um rácio de 15 com uma onça de ouro à 600$, aquilo dá uma onça de prata à 40$
Para um rácio de 7 com uma onça de ouro à 600$, aquilo dá uma onça de prata à 85$.

Para um rácio de 60 com uma onça de ouro à 800$, aquilo dá uma onça de prata à 13.3$.
Para um rácio de 30 com uma onça de ouro à 800$, aquilo dá uma onça de prata à 26.6$.
Para um rácio de 15 com uma onça de ouro à 800$, aquilo dá uma onça de prata à 53.3$
Para um rácio de 7 com uma onça de ouro à 800$, aquilo dá uma onça de prata à 114.2$.

Relatório evoluiu no tempo com mais elevado acima 90 em 1940, seguidamente em 1991; e dos mais baixos debaixo de 20 1920 e 1969. Este mesmo rácio era de 15 durante dois cem anos, de 1680 para 1870 e 10 no início do século XVI.

II. Rácios.

- O rácio reserva em subsolo (números 2000).
Há 77.000 toneladas de reservas de ouro em terra.
Há 420.000 toneladas de reservas de prata em terra.

420.000 tonelada 77.000 trovejam = 5.45

O rácio das reservas disponíveis em subsolo é de 5.45, isto significa que o ouro é 5.45 vezes mais raro que o prata.

- O rácio produção (2002).
A produção de prata é de 20.000 toneladas em 2002.
A produção de ouro é de 2.550 toneladas em 2002.

20.000/2550 = 7.84
O rácio da produção em 2002 é de 7.84, isto significa que o prata é produzido 7.84 vezes mais que o ouro.


- O ouro e prata já produzido.
É muito difícil conhecer a quantidade total de prata que foi produzida desde o início da exploração humana. Por conseguinte utilizei o total da produção de ouro e prata de 1900 para 2003.
Silver produção 1900-2003: 929.312 toneladas
Gold produção 1900-2003: 121.546 toneladas
929.312/121 546 = 7.64
O rácio ora e prata produto de 1900 para 2003 é de 7.64, este número está muito próximo do rácio de produção de 2002, e indica certa constância no relatório da produção or/argent desde um século (em algumas espécies aquilo retorna fazer uma média do rácio de produção anual sobre o século).


- custos de produção.
Os custos de produção para o prata são de 5$ a onça e 300$ a onça para o ouro.
300/5= 60
O rácio entre o custo de produção do prata e o ouro é de 60. O custo de produção de 5 dólares por o prata e 300 dólares para o ouro é números arredondados (é interessado por todas as informações sobre este tema dos custos de produção do ouro e o prata à escala mundial ou local, obrigado de adiantamento).


Se resume-se:
Rácio produção anual: 7.84
Rácio reserva em subsolo: 5.45
Rácio produção 1900-2003: 7.64
Rácio custo de produção: 60

III. Perspectiva.
pressões externas que se produziram desde vinte anos sobre os preços do ouro e o prata empurraram os preços debaixo dos seus custos de produção. Os preços de produção do prata muito fraco que os do ouro, o prata por conseguinte proporcionalmente muito reduziu mais. Antes do fim bimétallisme, no fim do século XIX, o prata era considerado como igual do ouro, durante este período o rácio entre o ouro e o prata evoluiu entre 5 e 15. Este número está próximo do rácio de escassez entre o ouro e o prata, por exemplo hoje as reservas de prata em terra são 5.4 vezes mais importantes que elas do ouro. O preço do prata tem por conseguinte um grande atraso a reconquistar sobre o do ouro. O ouro é de resto ele mesmo numa fase de aumento muito à longo prazo.

- O preço do prata por conseguinte é determinado em grande parte pelo seu custo de produção e não pela sua escassez. O rácio actual está mais próximo da zona do 60 que de 7. Este equilíbrio entre o ouro e o prata será estável até haja um problema sobre as reservas de prata, à este momento lá o rácio reajustar-se-á violentamente.
Este equilíbrio será quebrado quando os primeiros problemas sobre a renovação das reservas tiverem lugar, em resumo quando a PIC de produção atingir.

Há duas escolas que se opõem :

optimistas pensam que as matérias 1ères são inépuisables. Para eles, a consideração do esgotamento das matérias 1o repõe em causa o paradigma do crescimento perpétuo, Santo Graal da economia moderna. Pensam que a melhoria das técnicas de produção e de investigações é suficiente as duas sozinhas aumentar as reservas ad vitae æternam. Esta corrente de pensamento é mais importante pela seu número e sua influência. Para este grupo, as matérias primas geralmente são sem interesse e desprezadas, isto continua a ser ainda mais verdadeiro para as relíquias bárbaras, que são o ouro e o prata, devido ao seu papel monetário passado.

pessimistas pensam que a PIC de produção está muito próxima e por conseguinte o factor escassez vai retomar a parte após séculos de hibernação. Se pertence à esta categoria, que é um investidor que contraria, vocês aí está por último felizes, dado que está no sentido contrário dos grandes meios de comunicação social, meios financeiros e universitários, um verdadeiro salmão contra corrente.

Em conclusão, o rácio actual parece induzido pelos custos de produção, não pela escassez. O rácio de 60 entre o ouro e o prata cairá com o aparecimento da PIC de produção. Então o rácio ora prata dirigir-se-á para um rácio de 7. Se amanhã, encontro um gordo diamante no meu jardim (infelizmente muito improvável), o que vai determinar o preço, é a sua escassez e não o seu custo de produção que é de zero. O prata é produzido com custos reduzidos devido à sua distribuição geológica. Não é vendido em função da sua escassez, mas da sua disponibilidade, isto não pode ser eterno.

É difícil saber qual momento o balanço terá lugar, mas é fácil adivinhar que aquilo provocará uma vaga haussière sem precedentes sobre o sector do prata, esta vaga, como Tsunami, emportera à alturas inconcebíveis qualquer o que se refere rigorosa ou de longe ao prata. As mudanças estruturais do sector tornarão este aumento duradouro contrariamente ao aumento dos anos 1980.

Mas atenção, pertenço à segunda categoria, a dos pessimistas. Mas se ler todas as linhas, é sem dúvida que também pertence à esta categoria.

Dr. Thomas Chaize

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

raw material
other
mailing free
dani2989 logo