gold silver
mailing paying

Mailing livre
Português

home

Os ciclos de Kondratiev e o petróleo
The cycles of Kondratiev and the petroleum Les cycles de kondratiev et le pétrole Los ciclos de Kondratiev y el petróleo I cicli di Kondratiev ed il petrolio Die Zyklen von Kondratiev und das Erdöl Os ciclos de Kondratiev e o petróleo
pdf

Encontrava interessante de cruzar a PIC de produção do petróleo e a teoria dos ciclos de Kondratiev. Os Ciclos de Kondratiev permitem dar um quadro teórico, sobre o longo termo, à evolução da economia e o preço do petróleo.

I. Apresentação.
A) Apresentação:
Nikolai Dmitrijewitsch Kondratiev (1892-1938) é um economista soviético. Destacou ciclos de 50 anos nas actividades económicas das quatro grandes potências da sua época: os Estados Unidos, o Reino Unido, a Alemanha e a França. Director do instituto das conjunturas económicas, as suas teorias sobre os ciclos condenam-no goulag onde ele meurt fuzilado em 1938.
 B) a teoria dos ciclos :
Kondratiev destacou ciclos de um comprimento de 30 para 50 anos. Que pode-se resumir em quatro fases :
- A primavera (investimento, crescimento, criação de riqueza)
- Ao verão (limite do crescimento “exponencial”)
- Ao Outono (retardação da prosperidade)
- Ao inverno (depressão, declínio)
Cada novo ciclo tem como motor, no seu período de crescimento, uma inovação tecnológica.

II. Os ciclos de Kondratiev.
A) os ciclos.
Os três primeiros ciclos são definidos bem :
Ciclo 1  1800-1848 (a máquina à vapor) crise de 1848.
Ciclo 2 1848-1896 (o caminho de ferro) compreendendo o período da grande depressão: 1873 à 1896.
Ciclo 3 - 1896-1940 (motor à explosão, electricidade), crise de 1929.
Ciclo 4 - 1940 -???? (Indústria petroleira, electrónica, petróleo fonte de energia)
Quando termina-se o quarto ciclo de Kondratiev? Ontem, hoje ou amanhã?
B) quando o fim do quarto ciclo?
Existe três pontos de vista sobre este assunto:
- 1. Os ciclos de Kondratiev não existem mais! Eram válidos para o 19éme e o início do 20éme século mas não o são mais hoje.
- 2. O ciclo n° 4 é terminado e a crise (o inverno) teve lugar nos anos 1970 com o choque petroleiro. Estamos num novo ciclo (n°5) que deveria conduzir a um novo inverno a partir de 2010-2020.
- 3. O ciclo n° 4 não é terminado. É muito mais longo que precedentes os ciclos. Um período de grande crescimento baseado na utilização do petróleo à baixos preços e as intervenções dos bancos centrais no mundo económico deslocou o inverno de Kondratiev mas não o fez de desaparecer.


pdf

Existe por conseguinte três opções :
1. Ausência de ciclos, ausência de crises, o fim do petróleo tem lugar sem crises. (Isto não é uma graceja, vocês pode lê-lo diariamente nos vossos jornais).
2. Ciclo n°5, abordagem do inverno de Kondratiev com a PIC de produção do petróleo.
3. Ciclo n°4, o cenário é o de um ciclo mais longo e por conseguinte um inverno mais violento que acompanha-se da chegada da PIC de produção.
Tem uma preferência para “super” dou um ciclo n° 4, não ainda terminado, ou seja o cenário de um ciclo mais longo (crescimento mais forte, intervenção económica mais eficaz e sobretudo petróleo abundante) que deveria gerar um inverno de Kondratiev mais violento. Mas o caso de um ciclo n°5 é também provável. Portador do mesmo plano, a queda da produção do petróleo provoca uma crise e o ciclo seguinte constrói-se com um novo motor de crescimento…

III. Cedo o inverno de Kondratiev devido ao petróleo.
As causas do inverno de Kondratiev
Para schématiser, encara-se duas causas às crises do inverno de Kondratiev: sob produção ou sobre produção. Por meu lado, penso que é sob produção de petróleo e outras fontes de energia (Urânio, gás natural) e matérias primas (água, platina, ora, cobre, zinco, prata, chumbo, estanho, níquel…) devido a declínio das reservas que vai limitar o crescimento da oferta. Poderemos sempre fabricar novas televisões para novos clientes (o marketing teríamos êxito a vender umas quintos televisões temos pingouins), mas a energia e os recursos faltarão. Prejuízo para o marketing!
A proximidade da PIC de produção petroleira e o fim “super de ciclo” de Kondratiev que teve como motor o petróleo, me não se parece devidos aleatoriamente, parece anunciar o fim do ciclo n°4 ou 5 de Kondratiev.
B) as consequências:
O crescimento da massa monetária que serve para atrasar a chegada do inverno de Kondratiev, a rarefacção do petróleo e os recursos naturais vai favorecer o regresso da inflação. Este último fará passar a inflação dos anos 1980, a do Zimbabwe ou a República Weimar para uma gestão de pai de família.
Os ciclos de Kondratiev ajudam a construir um quadro teórico sobre a situação económica, que existem ou não, eles permitem um eixo de reflexão, mas não dão a data e a hora da próxima crise.

A ideia, dos ciclos de Kondratiev, de uma crise 50 todos os anos mim parece reter. No entanto, desde a crise de 1929 e a segunda guerra mundial, passou-se 60 anos sem que tivéssemos grandes crises do tipo de 1929. Alguns dirão “hoje nós têm o controlo da economia, a mais crise possível!!!!”. Bem quero, mas o conceito de um aumento perpétuo graças a um sábio controlo da economia não é suficiente como explicação teórica, e sobretudo quando o tanque de gasolina que alimenta o motor deeste aumento desde várias décadas se esvazia…
A Verdadeira pergunta para vocês e mim, se o cenário mais pessimista tem lugar, é saber como passar o inverno e qual será o motor do próximo ciclo de Kondratiev…

Dr. Thomas Chaize

“Os homens aceitam a mudança apenas na necessidade e vêem a necessidade apenas na crise.”
Jean Monnet

20.11.2007

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

raw material
other
mailing free
dani2989 logo